Notícias

Jean Wyllys deve indenizar empresário bolsonarista por postagem no Twitter

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021
Postado por Gabriela Rollemberg Advocacia

Fonte: Conjur

A liberdade de expressão cede frente ao imperativo de proteção dos direitos da personalidade. Com base nesse entendimento, a 7ª Turma Cível do Colégio Recursal Central de São Paulo condenou o ex-deputado Jean Wyllys a indenizar, em R$ 5 mil, o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, vice-presidente do Instituto Força Brasil.

O empresário ajuizou a ação após uma postagem no Twitter em que Wyllys chamou Fakhoury de "criminoso integrante do gabinete do ódio". Ele pediu indenização por danos morais de R$ 41 mil, mas a ação foi julgada improcedente pelo juízo de origem. O Colégio Recursal, por sua vez, acolheu em parte o recurso do empresário.

Para o relator, juiz Anderson Cortez Mendes, a postagem de Wyllys tinha "claro conteúdo ofensivo" a direitos da personalidade, destoando da liberdade de expressão e de crítica. "Se a postagem ficou apenas 48 horas disponível na rede mundial de computadores até sua supressão, a circunstância não inibe sua ilicitude, influenciando no montante da reparação devida", disse.

O magistrado disse que, embora Fakhoury seja investigado no inquérito das fake news no STF, ainda não se tornou réu e, sobretudo, não teve contra si proferida condenação: "Não pode ser admitido, pois, que tenha sido reputado como criminoso". Segundo Mendes, apesar de Wyllys também já ter sido alvo de inúmeras ofensas nas redes sociais, a condição de vítima não permite injuriar outro indivíduo.

"Em que pese se revestir da natureza de direito fundamental a liberdade de pensamento e expressão, eventuais abusos cometidos quando de sua utilização, notadamente causadores de danos aos direitos da personalidade, exigem inibição e reparação, na esteira do disposto pelo artigo 5º, inciso X, da Carta Magna", completou o relator.

A conclusão do juiz foi que as ofensas contra Fakhoury, "sem a apresentação de qualquer justificativa a ampará-las", extrapolaram o direito fundamental a liberdade de pensamento e expressão. "Por conseguinte, a lesão dos direitos da personalidade torna imperativa a reparação, configurada a conduta culposa do réu em veiculá-las, a qual se liga causalmente aos danos provocados", disse.

Além da indenização, o ex-deputado também deverá se retratar, no prazo de cinco dias, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, limitada a R$ 20 mil. A decisão foi unânime.

Clique aqui para ler o acórdão
1009242-20.2020.8.26.0016

Categoria(s): 
,
Tag(s):
, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

#GRAinforma

Notícias relacionados

sex, 06 de agosto de 2021

É possível adoção de medidas executivas atípicas no cumprimento de sentença em ação de improbidade

Fonte: STJ Para a Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), é possível adotar medidas executivas atípicas no cumprimento […]
Ler mais...
qua, 04 de maio de 2016

TRE/MG determina execução imediata de pena em caso ainda não transitado em julgado

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), acolhendo questão de ordem suscitada pelo Ministério Público Eleitoral, determinou a execução […]
Ler mais...
sex, 20 de julho de 2018

Laurita Vaz julga prejudicado pedido da PGR sobre Habeas Corpus a Lula

A presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministra Laurita Vaz, julgou prejudicado, nesta quinta-feira (19/7), o pedido da Procuradoria-Geral da República para […]
Ler mais...
sex, 14 de março de 2014

EJE promove Ciclo de Estudos em Direito Eleitoral

A Escola Judiciária Eleitoral de Mato Grosso (EJE-MT) promoverá, nos dias 20 e 21 de março, o Ciclo de Estudos […]
Ler mais...
cross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram