Notícias

Supremo suspende condenação do TCU a Sergio Gabrielli baseada em delação

terça-feira, 04 de julho de 2023
Postado por Gabriela Rollemberg Advocacia

Fonte: Conjur

A jurisprudência do Supremo Tribunal Federal considera inválidas as penalidades aplicadas tão somente com fundamento em delação premiada, sem outras provas mínimas que corroborem a acusação. E esse raciocínio, segundo o ministro Kassio Nunes Marques, também deve ser aplicado pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Os fatos apurados pelo TCU envolvem a suposta autorização dada por Gabrielli para que o ex-diretor da área internacional da estatal Nestor Cerveró ofertasse valor maior do que o devido pelo negócio. A corte de contas reconheceu a responsabilidade dos dois e lhes impôs o pagamento do débito, de forma solidária, de U$ 79,9 milhões, e multa individual no valor de R$ 10 milhões.

Ao analisar o caso, o ministro verificou que a condenação se deu basicamente com fundamento na delação premiada de Nestor Cerveró. Ao deferir a liminar, Nunes Marques considerou a urgência em razão do ajuizamento da execução judicial da decisão do TCU, na qual pode ser determinado bloqueio de bens passíveis de penhora. Com informações da assessoria de imprensa do STF.

Categoria(s): 

#GRAinforma

Notícias relacionados

sex, 18 de novembro de 2016

TSE considera válido uso de gravação ambiental como prova para inelegibilidade de prefeita no PI

Gravações foram feitas por polícia civil em festa promovida por candidata para captação ilícita de votos O Tribunal Superior Eleitoral […]
Ler mais...
sex, 12 de maio de 2017

Voto nulo e o voto em branco são temas do Boletim da EJE/TSE

Você sabe qual é o impacto do voto nulo e do voto em branco no resultado das eleições? Na edição […]
Ler mais...
qua, 24 de agosto de 2022

Juiz autoriza "gênero não especificado" em certidão de nascimento

Fonte: Conjur Com base no princípio da dignidade da pessoa humana, o juiz Frederico dos Santos Messias, da 4ª Vara Cível de […]
Ler mais...
seg, 11 de junho de 2018

TSE aplica pela primeira vez norma que coíbe notícias falsas na internet

Em decisão monocrática desta quinta-feira (7), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aplicou pela primeira vez a Resolução nº 23.551/2017 num […]
Ler mais...
cross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram